Notepad++ e FreePascal Funcionando Como uma IDE

Hoje em dia, assim como quando comecei a estudar programação, usa-se a linguagem Pascal para ensinar programação, principalmente devido a sua sintaxe simples (eu não acho tão simples assim, mas enfim…).

Um dos problemas que eu vejo é o fato de possuir um editor + compilador bacanas. Quando estudei, usava o Turbo Pascal. Sem brincadeira… era uma tristeza usar aquele dinossauro (que hoje em dia nem roda direito no Windows 7). Aí apareceu o Free Pascal. Muito bom, um compilador moderno e tudo. Mas a “IDE” em modo texto é uma tristeza… Por fim das contas, descobri o Notepad++ para editar os arquivos e usava o compilador do FreePascal na linha de comando pra compilar os fontes.

Até que…

Continue lendo!

Configurando um Dispositivo Android com o AVD Manager

Olá pessoal! No último post sobre Android, vimos como configurar o ambiente para programarmos, utilizando o Eclipse. Neste post, vamos ver como criar um dispositivo para a execução dos aplicativos que serão criados. Assim, você não precisa necessariamente de um celular com Android para começar a desenvolver para a plataforma 😀

Bom, o primeiro passo é abrir o Eclipse e clicar no ícone do AVD Manager (AVD = Android Virtual Device), ou ir até o menu Window -> AVD Manager.

Continue lendo!

Montando um Ambiente de Desenvolvimento para Android

Olá leitores! Já estamos em 2012… ano novo, vida nova… e por que não aprender uma coisa nova? Hoje vou mostrar como montar um ambiente de desenvolvimento para Android! Pra quem nunca ouviu falar (???), o Android é um sistema operacional da Google para dispositivos móveis. Hoje em dia, milhões de celulares e tablets utilizam o Android como sistema.

Uma coisa bem legal é que você pode disponibilizar seus aplicativos no Market do Android (após o pagamento de uma taxa) e talvez até ganhar um dinheiro com isso! Bacana não?

O desenvolvimento de aplicativos para Android é feito utilizando a linguagem Java, com a utilização de arquivos XML para a criação das interfaces. Apesar de parecer complexo, é relativamente simples criar seus aplicativos. Além disso, é bem fácil ter acesso a diversos recursos geralmente disponíveis em dispositivos móveis, tais como câmera, GPS, Bluetooth, etc.

Para facilitar o desenvolvimento, foi criado um plug-in para o Eclipse. Através dele, é fácil gerenciar as plataformas (diversas versões do Android) e as máquinas virtuais para executar seus aplicativos.

Bom, então pra começar, vamos fazer o download da JDK. Se você já programa em Java, este passo não é necessário. No momento em que escrevo este tutorial, a versão mais recente é a Java 7 update 2. Siga até esta página e faça o download.

A instalação deve ocorrer sem problemas (o famoso, next, next, next, finish). O próximo passo é baixar o Eclipse. Vá até esta página e faça o download relacionado a versão de seu sistema operacional. Para os nossos propósitos, a versão Eclipse IDE for Java Developers deve ser suficiente.

Ao concluir o download, basta descompactar o arquivo em algum lugar da sua máquina. Eu recomendo, no caso do Windows, na raiz C: ou em sua pasta de usuário (C:\Users\<Seu Usuário>). Neste exemplo, vou referenciar a pasta do Eclipse como C:\eclipse.

Prosseguindo, devemos agora baixar o Android SDK. É ele quem nos fornecerá todas as ferramentas da plataforma, como emulador, bibliotecas, etc. Vá até essa página e baixe a versão zipada da SDK (apesar de recomendarem a versão “instalável”) – isso é pra evitarmos problemas de permissão na hora de baixar as SDKs, caso esteja na pasta de programas do sistema (Program Files ou Arquivos de Programas). No momento em que escrevo este post, a versão mais recente é a 16.

Após a conclusão do download, descompacte o arquivo (pode ser no mesmo local onde você colocou o Eclipse). Aqui, por exemplo, vai ficar C:\android-sdk-windows. Após extrair, vamos executar o SDK Manager para baixar uma SDK para começarmos a programar. Ao executar pela primeira vez, o SDK Manager irá verificar os repositórios do Android em busca das últimas versões do SDK.

Para começar, vamos baixar o SDK da versão 2.2, já que os aplicativos desenvolvidos nela funcionam na grande maioria dos dispositivos Android de hoje. Se quiser instalar outras versões, fique à vontade. Expanda a pasta Android 2.2 (API 8 ) e marque as opções SDK Platform. Além disso, na categoria Tools, marque a opção Android SDK Platform-tools. Clique em Install 2 packages… (ou mais, se você selecionou mais alguma coisa), marque Accept All e então clique em Install.

Após a conclusão dos downloads, é hora de configurar o Eclipse. Vá até o diretório onde ele foi descompactado e execute-o.

Ao ser consultado sobre qual workspace utilizar, basta confirmar e utilizar o padrão (workspace é o local onde seus projetos serão salvos). Vamos agora adicionar o plugin para integrar o SDK Manager e o AVD Manager ao Eclipse. Clique no menu Help -> Install New Software… e na janela que abrir, clique no botão Add…. Na tela seguinte, preencha o nome do plugin (ADT Plugin) e coloque o endereço https://dl-ssl.google.com/android/eclipse, conforme a imagem abaixo:

Clique em OK e aguarde o carregamento do repositório. Ao concluir, marque a caixa Developer Tools e clique em Next > duas vezes. Na tela seguinte, aceite os termos da licença e clique em Finish. Agora aguarde a instalação e, caso seja alertado sobre conteúdo não-assinado, clique em OK para continuar.

Ao final, clique em Restart Now para reiniciar o Eclipse e concluir a instalação. O próximo passo é configurar o local onde as SDKs estão. No Eclipse, vá ao menu Window -> Preferences. Clique no botão Browse… e aponte para a pasta que você descompactou. Após a confirmação, deverão ser exibidas as SDKs que você baixou.

Pronto! Seu ambiente Android já está pronto para ser utilizado! No próximo post, veremos como fazer um Hello World e configurar um dispositivo para executar nossa aplicação. Até lá! 😀

Compilando e Instalando a biblioteca Allegro 5 no Ubuntu

Olá pessoal! Neste post vou mostrar como obter a nova versão da biblioteca Allegro e como instalá-la em um computador rodando Ubuntu. Realizei os testes utilizando o Ubuntu 11.04, mas o processo deve ser o mesmo em versões anteriores ou mais novas.

Bom, o primeiro passo é instalarmos as dependências para a compilação e execução da biblioteca. Abra uma janela do Terminal. Nela, digite o seguinte comando para instalar as dependências obrigatórias:

Neste processo, será pedido sua senha e a confirmação para iniciar o download dos pacotes. O próximo passo é instalar as bibliotecas necessárias à compilação dos módulos da Allegro 5. Para isso, digite no Terminal:

Por último, caso queira também construir os arquivos de documentação da biblioteca, execute no Terminal:

Após concluir as instalações dos pacotes, vamos baixar o código-fonte da Allegro 5 para compilarmos. Ainda no Terminal, digite o comando:

Este comando baixará o código-fonte dos repositórios oficiais e colocará em uma pasta chamada allegro-5.0. Agora, vamos navegar para a pasta e preparar os arquivos para a instalação. No Terminal, digite os seguintes comandos:

Com isso, já teremos os arquivos preparados para realizar a instalação. Para finalizar, digite no Terminal:

Pronto! Após a conclusão do processo, já deveremos ter a biblioteca devidamente instalada e pronto para ser utilizada.

Para testarmos se a biblioteca foi instalada corretamente, edite um arquivo no gedit ou no vim com o seguinte código (no meu caso, salvei com o nome de main.c:

Para compilar e executar o programa, basta digitar no Terminal:

Pronto! Se deu tudo certo, aparecerá uma janela preenchida de branco que permanecerá na tela por 10 segundos.

Espero que ajude, e aguardem por mais posts sobre a Allegro 5! Até a próxima! 😀

Montando um Ambiente de Desenvolvimento para TV Digital

Olá, pessoal! Hoje vou mostrar como preparar seu sistema para podermos criarmos e testarmos aplicativos para TV Digital, utilizando a linguagem NCL (Nested Context Language).

Primeiramente, precisamos preparar a máquina virtual que rodará o middleware Ginga, que é o responsável por possibilitar a interatividade no sistema de TV e interpretar os nossos programas em NCL. Para isso, precisamos instalar o emulador VMWare Player.

BAIXANDO E INSTALANDO O VMWARE PLAYER

Vamos até esta página e clicamos sobre o botão Download, conforme mostrado na imagem abaixo:

Prosseguindo, na tela seguinte, vamos novamente clicar no botão de download para baixarmos a versão mais recente do aplicativo. No momento em que este post é escrito, a última versão é a 3.1.4. Clique no botão conforme exibido na imagem abaixo (clique na imagem caso queira ampliar).

Neste momento, será necessário realizar um cadastro no site para que o download esteja disponível. Preencha com seu primeiro nome, sobrenome e e-mail, conforme mostrado na imagem a seguir. Após isso, clique no botão Continue.

Na tela seguinte, você deve terminar de inserir seus dados. Selecione o país como Brasil, insira uma senha (2 vezes) e concorde com os termos da licença. Em seguida, clique no botão Register.

Para concluir o cadastro, será necessário clicar sobre o link enviado para o seu e-mail. Vá até seu e-mail e procure pela mensagem recebida. Abra-a e clique sobre o botão Activate Now.

Ao clicar no link, será aberta uma página pedindo a inserção da sua senha. Digite-a e clique no botão Continue.

Clique em Continue e verifique seu e-mail. Você deve ter recebido uma nova mensagem (caso não tenha chegado, verifique na sua caixa de Spam ou Lixo Eletrônico) e clique no botão Access Now. Na página que abrir, estarão disponíveis para download as versões do VMWare para diversos sistemas operacionais. Caso esteja usando o Windows, clique sobre Manually Download na opção VMWare Player 3.1.4 for 32-bit and 64-bit Windows, ou caso esteja utilizando Linux, a versão correspondente ao seu sistema (32 ou 64-bit). Aguarde o término do download, que possui aproximadamente 100Mb.

Se você baixou a versão Windows, você deve ter um arquivo exe que pode ser instalado normalmente. Já se você baixou a versão Linux, você deve ter um arquivo bundle. Para executá-lo, basta abrir um terminal e digitar:

$ sudo sh ./VMWare-Player-3.1.4-385536.i386.bundle

O nome do arquivo pode variar dependendo da sua arquitetura e da versão atual. A instalação corre em modo gráfico e deve ocorrer sem problemas.

BAIXANDO O VIRTUAL SET-TOP BOX

Para executar nossos aplicativos em NCL, precisaremos de um emulador para simular o sistema encontrado em um set-top box. Para isso, vamos baixar a imagem fornecida no site oficial do NCL. Vá até este link e clique para baixar o GINGA-NCL VIRTUAL STB. No momento em que este post é escrito, a versão atual é a 0.12.3.

O download tem aproximadamente 450Mb.

BAIXANDO O ECLIPSE E INSTALANDO O PLUG-IN NCL-ECLIPSE

A IDE (Integrated Development Environment) utilizada para o desenvolvimento das aplicações para TV Digital é o Eclipse. Para baixá-lo, basta ir até este link. Praticamente qualquer versão pode ser utilizada. Uma sugestão é a versão Classic. Escolha o link que corresponda ao seu sistema operacional e versão (32 ou 64-bit).

Na tela seguinte, basta clicar sobre a seta verde para iniciar o download.

Ao concluir o download, basta extrair o arquivo e executar eclipse.exe (Windows) ou eclipse (Linux). Caso você ainda não tenha o JDK (Java Development Kit) em sua máquina, será necessário instalá-lo. No site oficial, encontrado neste link, você encontra versões para o seu sistema operacional – basta clicar sobre o botão Download. No caso do Ubuntu, você pode também instalar através dos repositórios oficiais, digitando em um terminal:

$ sudo apt-get install openjdk-6-jdk

Vamos agora instalar o plug-in para edição de arquivos NCL no Eclipse e a integração com o set-top box virtual. Para instalá-lo, abra o Eclipse, clique no menu Help -> Install New Software…

Agora, clique sobre o botão Add… e insira em ‘Name’, Plugin NCL-Eclipse e em ‘Location’, http://www.laws.deinf.ufma.br/ncleclipse/update

Agora, basta marcar a caixinha NCL e ir avançando no processo normalmente. Após a conclusão da instalação, você já terá as opções de projetos NCL no assistente para a criação de novos projetos.

EXECUTANDO A MÁQUINA VIRTUAL E INTEGRANDO AO ECLIPSE

O próximo passo é colocar a máquina virtual pra rodar. Descompacte o arquivo do set-top box virtual (no caso, ubuntu-server10.10-ginga-v.0.12.3-i386.zip). Agora, abra o VMWare Player, aceite os termos da licença, caso seja pedido, e clique sobre Open a Virtual Machine.

Localize o diretório onde você extraiu os arquivos da máquina virtual e abra o arquivo ubuntu-server10.10-ginga-i386.vmx. Agora, basta dar um duplo clique sobre a máquina virtual ou clicar no botão Play this virtual machine. Ao ser indagado sobre a origem da máquina virtual, clique sobre I copied it. Aguarde até o carregamento completo da máquina para prosseguir. Caso o VMWare peça para instalar complementos, basta cancelar (eles não são necessários para o funcionamento do set-top box virtual). Quando o carregamento estiver completo, a máquina virtual se encontrará assim:

Agora, vamos configurar o plugin NCL para comunicar-se com o set-top box virtual. Anote este IP que aparece no canto inferior esquerdo da máquina virtual (no meu caso, 172.16.16.128, conforme a imagem acima). Agora, abra o Eclipse, e vá até o menu Window -> Preferences. Na seção NCL, em Remote Ginga NCL Play, coloque o IP da máquina virtual no campo Hostname. Vai ficar assim:

Basta clicar em OK para concluir o processo.

Pronto! Agora você já pode começar a desenvolver suas aplicações em NCL utilizando o Eclipse e o Virtual STB. Mas isso, é conversa pra outro post!

Até a próxima! 😀