Triste


Agonizante sensação, lampejante canção
Trucido o interior do tecido, jaz amor
Fujo de mim, sujo por fim
Um jarro de dor, amarro o furor
Partido em cacos, a partida pra sempre
Erguerei-me na vastidão. Entregarei-me à solidão

Triste estou. Triste soou. Triste sou.
Na lança do tempo, a esperança no vento
Não encontro mais ninguém, só o monstro e além
Meu medo já presente, o peso já ausente

Vou-me indo pois só. Deixo somente o pó
Nessa história de coração, só na memória fica o não
Já não creio em mais nada. Fugirei em plena madrugada
E que encontrem o que resta de mim.
Ou logo chegará então o fim…

Lástima

Esqueço somente tua atenção, é assim
única lástima tentadora integra mais aversa
vou enquanto zune, qualquer um entrega
liga humanidade enfim,
esperam só, creem reverenciando e vigiando ontem

Vou aqui instigar seus estranhos restos
daqui, infinito fogo ímpar, conhece ilícitos logradouros
Muito assiti sem você, outrora um
e não farei intrigas, mas triste extremo
esquecerei subitamente quando um encanto ceder entre risos

A despedida. Eu, um solitário
Amanhã não atravesse. Inquieto seu amor.

Três Dias

Nunca pensei que três dias pudessem me fazer refletir tanta coisa. Nunca pensei que conviveria com sentimentos tão diferentes nesses três dias. Nunca pensei que enfrentaria alguns de meus medos da maneira que foi…

Nunca pensei que sentiria tanta falta de sentar no chão e olhar pro céu, quando só podia ficar deitado olhando pro teto. Nunca pensei que não fazer nada pudesse me dar tanta agonia.

Tive medo, sim. Medo de não sair de lá, e até de alguma coisa pior. Medo de não poder falar o que sinto pras pessoas. Medo de nunca mais poder estar com essas pessoas. E esse medo, por vezes, ainda me assola. Nas manhãs angustiadas, nas noites mal dormidas. O medo persiste.

Chorei. Chorei por temer não ver mais as pessoas que gosto. Chorei por não saber o que eu tinha. O mais agonizante é ver as pessoas te olharem, achando que você está bem, quando você na realidade não está.

Vou melhorar. É uma promessa que fiz. Deus está comigo e vai me ajudar. E vou voltar. Voltar pra falar com os amigos. Voltar pra dizer o que sinto. Voltar pra contar minhas piadas sem graça. Voltar pra sentar no chão e olhar o céu. Voltar pra fazer meus trocadilhos sem noção.

Anotem aí. Apesar de tudo, estou vivo. E separa uma cadeira pra mim que eu to voltando.